sábado, 26 de setembro de 2009

E O SOL PAROU

Da edição de El Sol Parado em linha, apresentamos o texto relativo à paragem do Sol, quase o final da obra, que faz de Paio Peres Correia o Josué português. Mae. é o Mestre de Santiago D. Paio Peres Correia, as outras abreviaturas indicam personagens secundárias. Naturalmente haverá algumas falhas na cópia actualizada do texto.
Durante a prece inicial, o guerreiro encontra-se de joelhos.



Mae. Santa María Señora,
Laurel, palma, huerto, fuente,
Ciprés, rosa, oliva y lirio,
Madre y Virgen ahora y siempre!
Detén Señora tu día,
Que mandar al Sol bien puedes
Que tiene a los pies la luna
Y tanta estrella en su frente.
Cristo, por cuya Fe santa
No ay aquí quien no profese
Defendiéndola morir,
Haz que el Sol su curso cese,
Y si Josué mereció
Que se detuviese, tenle
Por ser día que tu Madre
Nació para que nacieses.
Tu, Virgen, detén tu día.
Cam. Cielos, el Sol se detiene!
Mae. Santiago, Freiles, Santiago,
Cierra España, a ellos Freiles!

Comenzando el Sol a caminar un Ángel detenga el Sol y mientras este se hace con música adentro se da la batalla y entren e salgan acuchillándose Moros y Cristianos y Pelayo e salga después el Maestre y los suyos e tragan Moros cautivos e Filenay Mengo.

Mae. Todo el tiempo que ha durado
Al pie dista fuerte sierra
La confusión de la guerra
Hemos visto el Sol parado.
¡Virgen, vuestro santo día
Mereció tan raro ejemplo!
Aquí he de labrar un templo
Llamado Detén tu día
Por memoria dista hazaña
Y su vencimiento raro.
Cam. Gran Josué, nuevo amparo
Del nuevo Israel de España,
Milagro es grande que Dios
Por el ruego de María
Hiciese claro el día
Porque vencieseis vos.
Labrad el templo que es justo,
Porque el agradecimiento
Causa en el cielo contento,
Y la ingratitud disgusto.
Na imagem ao cimo, fragmento da Jerusalém Conquistada, do mesmo Lope de Vega, onde também se alude ao "milagre" do Sol parado; em baixo, fragmento de El Sol Parado onde encontramos como que uma auto-apresentação do Mestre de Santiago.

TENTUDIA

Tentudia tem um interesse particular para o estudo de D. Paio Peres Correia.
Bem se vê que muito do que sobre este lugar se afirma radica em lenda: não era no cimo dum monte que se travavam batalhas tão decisivas que fosse preciso para as acabar pedir o milagre da paragem do Sol.
Mas não são lenda aquele mosteiro e a sua rica história, que incluiu um colégio da Ordem de Santiago onde se leccionavam Gramática, Artes e Teologia, nem a obra de Lope de Vega El Sol Parado; não é lenda o retábulo de Paio Peres Correia que lá existe e que é da autoria do Niculoso Pisano.
Provavelmente, também se deve à lenda de Tentudia e ao seu mosteiro o medalhão do mesmo Paio Peres Correia que se pode admirar na Praça de Salamanca.
O 17º Grão-Mestre de Santiago começou por ser sepultado em Talavera de la Reina, em Toledo. Muitos anos mais tarde os seus restos mortais foram trasladados para o Mosteiro de Tentudia. E é certamente lá que se encontram, como defende um estudo de Manuel López Fernández.
O que se não pode é confundir com afirmação histórica a ajuda ocasional e lendária dada à divulgação de tão ilustre personagem.


O Mosteiro de Tentudia fica, isolado, no topo deste monte.

Tentudia em Vídeo

Sem comentários:

Publicar um comentário