sábado, 26 de setembro de 2009

ABERTURA


Fantasías aparte, es innegable que su nombradía (de D. Paio Peres Correia) se asienta en una vida militar llena de gloriosos hechos, como lo demuestra el que se le confiase el mando del ejército español en aquel período verdaderamente heroico de la Reconquista.


Fue Gran Maestre de la Orden de Santiago y tanto los monarcas portugueses como los castellanos, se disputaran el honor de tenerle à su servicio.
Enciclopedia Universal Ilustrada Europeo-Americana

«Os dados para a composição de uma biografia (sobre Paio Peres Correia) são vastíssimos» (Henrique David). Todavia essa biografia ainda não existe. E, enquanto assim for, o seu lugar na história não será devidamente equacionado: o lugar de um homem denodado, que lutou em território português, particularmente algarvio, nos reinados de Sancho II e Afonso III, mas sobretudo em Castela, sob Fernando III e Afonso X, a quem este, ainda principe, prometeu que lhe entregaria os cuidados da educação do herdeiro, que foi solicitado, mesmo pelo Papa, para ir em socorro do imperador Balduíno de Constantinopla (1), etc.

O esclarecimento das suas raízes fralanenses (do Solar de Fralães, no Concelho de Barcelos) cremos que é tarefa importante, para que haja quem o reivindique, quem, considerando-o seu, accione iniciativas que promovam a reflexão sobre a acção que desenvolveu.

Se a composição de uma biografia do 14º Grão-Mestre da Ordem de Santiago não está ao nosso alcance, isso não impede que registemos aqui um pouco do que sobre ele se pode saber.
.
(1) Consulte esta Colecção Documental sobre Paio Peres Correia.






Nas imagens: medalhão leonês de D. Paio Peres Correia (Convento de S. Marcos), retrato português  e medalhão na Plaza Mayor de Salamanca  do mesmo.





 Monumento a Paio Peres Correia em Setúbal.
 Painel de Paio Peres Correia em Tentudia, Espanha.

 Placa toponímica em Loulé.


Nossa Senhora aparece a Paio Peres Correia - pintura originária do Castelo de Palmela e actualmente no Museu Nacional de Arte Antiga.

***
Manuel López Fernández, autor do livro


Natural de Calera de León, na província de Badajoz, Manuel López Fernández  é militar de profissão e doutor em História pela UNED com a tese La Orden de Santiago y el maestre Pelay Pérez Correa. Professor tutor do Centro Associado da UNED em Algeciras e membro do Instituto de Estudos Campogibraltarenos, as suas linhas de investigação estão relacionadas com o Estreito de Gibraltar e com a Ordem de Santiago. Os seus trabalhos foram publicados em actas de congressos celebrados em Espanha e Portugal, ou publicados em revistas como Albassit; Almoraima; Cuadernos del Archivo Central de Ceuta; Espacio, Tiempo y Forma; Historia. Instituciones. Documentos; Revista de Estudios Extremeños; Revista de Historia Militar; Revista de las Órdenes Militares; e otras de menor difusão nas províncias de Alicante, Badajoz, Cádiz, Murcia e Sevilla (veja-se aqui).
Numa artigo em linha, Manuel López Fernández afirma que Paio Peres Correia “parece originario de Farelaes, un “couto” cercano a la portuguesa ciudad de Braga”. A gente preferia que disse que o Mestre de Santiago era natural do antigo e extinto Couto e Honra de Fralães, cuja área hoje pertence ao concelho de Barcelos. Mas podia ter sido pior.
O que fica claro é que o livro, que se estende por 692 páginas, é dum especialista e que refere Fralães. Um verdadeiro tratado que em breve esperamos possuir.
Veja-se também esta apresentação de Paio Peres Correia, certamente da sua autoria:

Paio Peres Correa foi, em palavras de Derek W. Lomax, um dos melhores mestres da Ordem de Santiago. Todavia, até à tese doutoral de Manuel López Fernández - La Orden de Santiago y el maestre Pelay Pérez Correa -, não se tinha um trabalho que permitisse avaliar no seu conjunto o labor do mestre à frente da instituição que governava; labor que ficou associado a uma grandiosa lenda de que o mestre se fez credor no seio da mesma Ordem. Sem pôr de lado origem e evolução dessa lenda, nem iludir a sua posterior influência histórico-literária, graças ao dito trabalho de investigação podemos conhecer multidão de detalhes da vida do freire santiaguista, as suas andanças pela Península em acções militares, concedendo foros ou engrandecendo a sua Ordem, ao tempo que se relacionava com os reis de Castela, Portugal, Aragão, Inglaterra..., e com as mais altas hierarquias da Igreja.

Em linha existem alguns trabalhos publicados por Manuel López Fernández:

1 comentário:

  1. Boa tarde,
    O meu nome é Pedro Oliveira Pinto e foi com algum espanto que vi o meu nome no seu blog, associado ao meu projecto "The Lord of Paderne".
    Como não tem o seu contacto no blog, decidi escrever-lhe aqui, pois gostaria que me contactasse através do meu email:
    pedrooliveirapinto@hotmail.com
    Ficarei a aguardar o seu contacto.
    Cumprimentos,
    Pedro Oliveira Pinto

    ResponderEliminar